Quem já veio para a terra da rainha sabe – não é em uma, duas, três, dez viagens que você vai conseguir descobrir tudo o que Londres esconde.

londres

Já é a minha terceira vez por aqui, e, vergonhosamente foi a primeira vez que eu dei uma volta por East London, área que vai ficando cada dia mais hype com a tamanha concentração de artistas, músicos e novos estilistas. Lembro que a Mandi Lennard ( PR de Gareth Pugh, Pam Hogg, House of Holland) me disse no Pense Moda do ano passado, que se eu quisesse trabalhar com moda em Londres, eu teria que ir conhecer pessoas no East End. Bom, não conheci ninguém, mas estou tendo um ótimo relacionamento com as minhas compras, e uma pequena briga com o meu bolso!

Eu pulei do ônibus em Shoreditch e dei sorte de encontrar um restaurante gracinha no caminho [2-4 Rufus Street, Hoxton], mas se você não estiver muito a fim de andar, desça direto na Commercial St. O tal restaurante se chama Breakfast Club (sim, tipo o filme mesmo!) e serve café da manhã até tarde, burgers, sucos naturais (que é dificil encontrar por aqui), vitaminas naturebas e a salada mais deliciosa que eu já comi na cidade. Sem contar que a decoração é toda com um pé no kitsch, com sofazinhos, televisões antigas…

the-breakfast-club

Seguindo pela Commercial St. cruzando com a Hanbury St. é que a diversão começa.

O primeiro brechó que a gente encontra é o Blondie, o mais arrumadinho (e caro) de todos. Decoração impecável, peças separadas por cor, e vestidos de festa que dá vontade de chorar, tudo em perfeito estado. Muitos sapatos, mas a maioria só para pézinhos bem pequenos. Quem está procurando peças de marcas famosas, lá é o lugar, se não quer gastar muito pode passar longe.

blondie

Passando pela All Saints e virando na Hanbury St. já encontrei a mãe da Blondia, a Absolute Vintage. O brechó é dos mesmos donos, mas tem 5 vezes seu tamanho. Araras e mais araras e peças de diversas épocas, muitos (mas muitos!) sapatos e bolsas entre £10 e £20, vestidos variam entre £8 e £30. É a maior bagunça, mas vale a pena vasculhar tudo. O bom é que chegam centenas de peças novas todos os dias. Se você está procurando por aquela bolsa Dior com a correntinha de ouro ou aquele óculos Fendi, só vai encontra-los trancados em pratelerias de vidro – com uma plaquinha deixando claro que não estão a venda.

absolute-vintage

Virando na Brick Lane, a rua mais movimentada de East End a maratona de garimpos continuam, impossivel citar TUDO que tem por lá, precisa bater perna mesmo. Amantes da street art, nem pensem em sair de casa sem uma câmera na mão, dá vontade de fotografar tudo!

Se estiver com fome pare no Cafe 1001 [91 Brick Lane ], e escolha entre comer um cheeseburger (o veggie é ótimo) e beber uma cerveja do lado de fora, ou tomar um café e folhear os diversos livros de arte que existem lá dentro. O lugar vai ficando bem cheio a noite, então é bom chegar cedo.

cafe-1001

Tá bom, isso não entra na lista de brechós, mas lá do lado tem a loja de música mais legal de londres, a Rough Trade. Paraíso dos djs, produtores e afins, lá você encontra cds e lps de tudo que beira a música eletrônica, além de ter uma máquina divertida daquelas que tira uma sequencia de fotos em preto e branco.

rough-trade

Logo em frente você encontra a Public Beware Co. , também não é brechó mas os preços são agradáveis e as peças tem um ar antigo com uma pegada mais urbana. Os designers são japoneses na verdade, mas o estilo é super londrino. E as sales são ó-ti-mas.

public-beware

Para terminar, no quarteirão do lado fica a Rokit [101 Brick Lane ], minha preferida. É um brechó que também possui algumas peças customizadas, e algumas peças novas absurdamente baratas. São dois espaços diferentes, um onde as peças são um pouco mais baratas e voê encontra de tudo. Os sapatos são um caso a parte, alguns lindos (e com tamanhos maiores) saem por £5, cintos por £2 e por aí vai. A sessão do lado tem os preços um pouco mais altos, mas com peças mais fashion mesmo, muito neon, muito paetê e brilho.

vintage-rokit

Uffa! Bom, tem milhares de outras lojinhas escondidas por alí, precisa andar mesmo. Só ficar alguns minutos observando os jovens que passam que você já vai ganhar alguns créditos nas suas atividades complementares da faculdade de moda, eu prometo.

[Texto publicado originalmente no site Modices]

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *